a big end starts with a bang

um monstro muito antigo
mais forte por nunca estar sozinho
e todos são inimigos
os pobres são os primeiros
atacam como carrapatos
sugam por dentro só sobrando ossos
é tudo um gigante poço
os que ajudam são poucos moços
e a maioria os consideram loucos
uma batalha sem projetos somente esboços
você só é solto quando estiver morto
parasitas a ajudam e ela vive nos cantos
se exaltam quando se tem pouco
os estranhos são pequenos
os que nunca a viram muito menos
fingimos que ajudamos
para nossos egos alimentarmos
e a consciência aliviarmos
eu provei um pouco
mas não o bastante para virar um monstro
você jamais esquece o gosto
mas uma máscara é envolvida no seu rosto
sempre sonhando com aquele desgosto
seu sorriso se torna maroto
e uma dura que o relembra ao seu entorno
e o que aconteceria se seu mundo caísse neste fosso
tudo sucumbiria…

View original post 69 more words

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s